Condução da bola

Essa é a forma mais indicada e com a maior aplicabilidade possível para movimentar-se depois de ter movimentado a bola. No entanto, existe um detalhe: fazer os movimentos SEM perdê-la de contato. Em resumo, é o movimento realizado no momento em que o jogador tem a bola sob seu domínio.

Uma das maneiras de conduzir a pelota no campo é com o peito do pé. Mesmo que seja a forma de condução menos utilizada (considerada de alta dificuldade devido a complexidade de dominar a bola e mantê-la em movimento) é interessante falar sobre.
Nela, o corpo precisa estar ligeiramente inclinado para frente mantendo a bola a uma distância máxima de aproximadamente 80 cm dos pés para depois ser conduzido para um passe ou um chute a gol. O que acha de condução da bola, apesar de ser mais árdua e existir uma maior consciência corporal?

Condução de bola com a parte interna do pé: Bem utilizada em uma partida de futebol, na condução de bola com a parte interna do pé, o jogador movimenta-se dentro da área do jogo e leva a bola sobre seu domínio com a parte interna de um dos pés. Ou ainda utiliza ambos alternadamente para conduzi-la.

Condução de bola com a parte externa do pé: Já essa modalidade é a mais utilizada, já que existe um deslocamento mais longo e rápido com a bola sobre seu domínio. Neste caso, a pelota pode ultrapassar apenas uma distância de aproximadamente 80 cm dos pés.

Condução de bola com a sola do pé: A condução de bola com a sola do pé é pouco utilizada dentro do futebol de campo, devido a sua dificuldade de locomoção. Isso acontece porque muitas vezes, a superfície do campo não é regular. Neste tipo consiste em movimentar-se com a bola dominada levando-a com a sola de um dos pés, sem deixá-la longe do contato com seu corpo. É considerada um deslocamento longo, porém seguro.

Deixe um comentário